Arquivo da Categoria: Não categorizado

Falhar é uma chatice…

Regresso à escrita com uma saudade tão imensa quanto o oceano. E terei de voltar a escrever com o mesmo cuidado e respeito. Preciso disso para sobreviver. Publico um texto meio antigo, com génese actual. Falhar é uma chatice. Mas … Continuar a ler

Publicado em Não categorizado | Publicar um comentário

A vida é interessante…para quem tem interesse

Em todos os lugares onde andei, sempre me encantei com pormenores. Interessa-me muito mais o básico, simples e o que pode escapar ao óbvio. É por isso que estou entusiasmado para os meses que se seguem. As viagens vão suceder-se … Continuar a ler

Publicado em Não categorizado | 1 Comentário

Johnny Hooker no Piquenique Dançante – Porto, Portugal

Há mais de dois anos sinalizei Johnny Hooker como um dos nomes a reter para os anos seguintes. Cedo lhe identifiquei qualquer coisa de muito particular, aliado a um timbre tão próprio que nunca permitirá que o confundamos com outro … Continuar a ler

Publicado em Não categorizado | Publicar um comentário

Um crente que deixou de acreditar…

Temo que aos poucos esteja a perder o que me resta de social. Perdi quase tudo o que se pode enquadrar nesse campo. E não tenho qualquer pudor em afirmar que me tornei numa máquina de trabalho. Azedei um pouco. … Continuar a ler

Publicado em Não categorizado | Publicar um comentário

Data a festejar

Não há no mundo palavras para descrever a gratidão que tenho para quem nunca me deixou só, mesmo quando fiquei parado a ver o horizonte. É que não se pode confiar no horizonte, nos sonhos, na família ou no Amor. … Continuar a ler

Publicado em Não categorizado | Publicar um comentário

Sei do que se trata…

Sei do que se trata, mas mesmo assim ignoro porque posso. Porque quero. E fecha-se uma porta que não mais se abrirá. Nada será como antes. O que é escrito e dito, transmitido com a pressa de uma ressalva que … Continuar a ler

Publicado em Não categorizado | Publicar um comentário

Toda a riqueza do mundo

Atirei a moeda ao ar e voltou para mim toda a riqueza do mundo. No espaço entre altura e queda, naquela fração de segundo, escolhi cara sem me preocupar com o prémio da coroa. A riqueza não estava na palmada … Continuar a ler

Publicado em Não categorizado | Publicar um comentário