Arquivos Mensais: Outubro 2012

Ensaio sobre a maldade

Este foi um dia muito difícil. Caro e difícil. Há nos meus olhos ironias e cansaços que não páro de repetir. Mas ás vezes a energia foge-me em cada passo e sinto-me esvaziado. Seco de forças e vencido pela desilusão. … Continuar a ler

Publicado em Não categorizado | Publicar um comentário

Ensaio sobre Calhaus

Nada como ficar um dia inteiro de papo para o ar. Assim como um gato esticado ao sol, a esticar as patas e cuidar do pêlo. Preciso de dias assim para esquecer o grande sarilho que se aproxima. Preocupa-me a … Continuar a ler

Publicado em Não categorizado | Publicar um comentário

Ensaio sobre o que quero, simplesmente!

Nada é pior que ter tudo de mão beijada e achar que se sabe o que é nada ter. É uma afronta a todos os que ultrapassam barreiras quase impossíveis. Esse é um dos motivos pelos quais me obrigo a … Continuar a ler

Publicado em Não categorizado | Publicar um comentário

Ensaio sobre nomeações

Um país entregue aos bichos, como este, tem o futuro hipotecado independentemente de qual seja o partido no governo ou o orçamento de estado. E não estou a ser pessimista! Estou a ser realista. Pouco interessa mais e mais austeridade … Continuar a ler

Publicado em Não categorizado | Publicar um comentário

Ensaio sobre o assobio

Existem tantos assuntos sobre os quais poderia escrever. Estes têm sido uns dias muito ricos de material. Preciso escolher um ou dois. Em poucas linhas não posso deixar de ficar surpreso por uma professora ter tido a ousadia de negar … Continuar a ler

Publicado em Não categorizado | Publicar um comentário

Ensaio sobre o tom das palavras

Vivo num país refém da sua própria incapacidade para exigir mudança. Para além de acomodados, os portugueses são demasiado retraídos para saírem por aí a dizer o que está mal. Mas todos sabem o que está mal. Mas é assim … Continuar a ler

Publicado em Não categorizado | Publicar um comentário

Ensaio sobre justificar

Acordei com uma certa azia. Ou melhor, fizeram com que este mal-estar se instalasse de modo quase definitivo durante o dia de hoje. Passará. Muito mais depressa do que se pensa porque na realidade eu tenho em mim o conforto … Continuar a ler

Publicado em Não categorizado | Publicar um comentário

Ensaio sobre cadernetas

As pessoas sentem cada vez menos pudor de assumir que por vezes são obrigadas a fazer coisas menos correctas. A capa que encobre a vergonha sobre o lema: “todos fazem o mesmo”, é tão esburacada quanto absurda. É a velha … Continuar a ler

Publicado em Não categorizado | Publicar um comentário

Ensaio sobre uma pausa

Passei uns dias longe de tudo numa casa perdida numa aldeia perto de Foz côa. Eu gosto de aldeias. De casas de pedra e de muita natureza, embora dispense os bichos. A leveza do tempo, o ar fresco e o … Continuar a ler

Publicado em Não categorizado | Publicar um comentário

Ensaio sobre zombies

Chegaram novas medidas de austeridade. Tenho medo que se tenha criado, no ministro das finanças, um hábito de apenas convocar a imprensa para anunciar medidas de austeridade. Impostos e mais impostos. Parece que vivemos numa era em que nos tentam … Continuar a ler

Publicado em Não categorizado | Publicar um comentário