Arquivos Mensais: Fevereiro 2012

Ensaio sobre patrões

Antes de ser crucificado, vou explicando: o ensaio de hoje aplica-se à generalidade dos patrões e não a todos. Começando pelo que deveria ser o fim vou salvaguardando que ainda há patrões sérios e honestos e acredito que esses são … Continuar a ler

Publicado em Não categorizado | Publicar um comentário

Ensaio sobre Rui Pedro

Chocam-me muito facilmente os casos que envolvem crianças. E este em especial porque olhar aquela mãe é lembrar a todos os momentos o sofrimento de não se saber o que aconteceu a um filho. Muito pior que a incerteza, é … Continuar a ler

Publicado em Não categorizado | Publicar um comentário

Ensaio sobre o raro

À medida que os anos vão passando, vou ficando menos compreensivo com as pessoas e o seu comportamento delirante. É de tal maneira preocupante que por vezes dou comigo a pensar que o excesso de mimo e os afectos levianos … Continuar a ler

Publicado em Não categorizado | Publicar um comentário

Ensaio sobre decisões adiadas

Há decisões cuja urgência pode afectar, e muito, o decurso de várias vidas. Veja-se o caso de Beja. Tardou tanto a decidir finalmente pôr termo à vida, que quando o fez deixou de ter sentido. Talvez uma semana antes fosse … Continuar a ler

Publicado em Não categorizado | Publicar um comentário

Ensaio sobre a estreia

Hoje foi a minha estreia num órgão com algum poder político sobre o futuro de uma instituição. E que estreia… Não fiz por merecer destaque nem precisei de puxar assunto para argumentar. Quando a inoperância abunda e o desbaratar de … Continuar a ler

Publicado em Não categorizado | Publicar um comentário

Ensaio sobre pequenos ditadores

Dia de cão. Horrível. Nada correu certo. Mas se nada corre como devia, não há outro responsável senão eu. Amanhã o sol nasce e um novo dia se ergue. A única solução para os dias maus, é esperar que passem. … Continuar a ler

Publicado em Não categorizado | Publicar um comentário

Ensaio sobre fases de muito trabalho

Quando ando muito ocupado cai em mim uma certa melancolia quase imperceptível. Pelo menos é assim que a imagino embora sinta uma nostalgia que nunca entendi muito bem. Talvez seja por estar com as defesas em baixo ou só uma … Continuar a ler

Publicado em Não categorizado | Publicar um comentário