Desolação a mais

DSCF2931

Regressei a Portugal e ainda não consegui dormir uma noite sossegado. Muitas reuniões, já fui até Braga e andei num corrupio quase desumano. Mas faz parte. E esta semana que se aproxima não será melhor… Visitei amigos e reencontrei outros. Curiosamente o dia mais feliz e menos cansativo foi a ida a Braga onde reencontrei amigas e passei uma tarde agradável. Ainda não consegui perceber o que mudou no País e o que aconteceu durante a minha ausência. Acompanhei as eleições autárquicas e fui tendo notícias a solto, mas pouco… A notícia do inferno dos incêndios chegou-me como algo tão inacreditável que foi impossível pensar que, pela segunda vez em poucos meses, morre tanta gente queimada! Politicamente nem preciso ler as notícias para saber que a oposição tentou imediatamente tirar proveito político, e despedimentos se seguiram. O problema repetiu-se e nada foi ou vai ser efetivamente mudado. Começa a dança das cadeiras e o umbigo a ocupar mais espaço do que o corpo pode albergar. E assim se vive neste mundinho de coisas pequenas e fúteis. De quase nada. De abanar a cabeça em saídas, de organizar eventos absurdos onde se celebra não a vida mas a ignorância e a disposição para criar umbigos ainda mais largos, poços ainda mais fundos… e incêndios ainda maiores. Tudo o que é Humano sempre me interessou mais do que o material ou a ocasião. E as tragédias podem ser evitadas com um planeamento a médio prazo e uma bela dose de boa vontade. É impressionante como mais depressa as pessoas se voluntariam a ajudar num evento de moda, que a limpar mato e evitar assim uma tragédia! Será um exagero? Será mesmo? A moda não serve para nada, tal como 90% das coisas com as quais as pessoas se ocupam. Não serve para crescimento social e pessoal. Não serve. Ir a uma discoteca não serve para nada! Só divertimento… Todos têm o direito ao divertimento, mas têm o dever de o merecer! E se vivemos em sociedade, então que se viva como tal! Que o todo chegue antes de mim, de ti, e de cada um de nós. Eu não vou dar um contributo monetário só para não ter de sair do meu conforto. Não vou dar um contributo que se fica por reclamar e ficar sentado. Para mudar mentalidades é preciso denunciar, expor e meter o dedo na ferida sem ter medo de ser politicamente (in)correto. Não estou a julgar ninguém, estou a constatar factos: as grandes tragédias do Mundo sempre apareceram quando, distraídas, as pessoas se deixaram manipular pelo divertimento fácil e pelas promessas e manipulação do vazio. Pura ilusão. E pessoas iludidas são perigosas. E sim, o que não falta em cada canto e esquina, são pessoas que vivem iludidas… E isso é desolação a mais… como na foto que tirei no Morrinho…

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Não categorizado. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s