Ensaio sobre o raro

À medida que os anos vão passando, vou ficando menos compreensivo com as pessoas e o seu comportamento delirante. É de tal maneira preocupante que por vezes dou comigo a pensar que o excesso de mimo e os afectos levianos e gratuitos, fazem com que as pessoas não se responsabilizem pelos seus actos e pelas suas loucuras. Loucuras inteiras e perdões implorados na parede das lamentações, que de muro nada tem, porque nada separa. E se não separamos nada, então o que temos é uma mão cheia de coisas banais onde o brilho do imediato ofusca toda e qualquer possibilidade de raridade. É rara a generosidade e o despreendimento do bem material. É tão raro que chega a ser uma extinção total de uma espécie de gente que passa sem que deles se repare. E se ninguém repara, é porque é raro. Não vive maquiado em épocas festivas nem tira a máscara com o argumento e a ocasião. É raro. E é essa raridade que ninguém mais procura. Todos se esforçam por estar entrusados ou enturmados. Por serem aceites como diferentes, sendo a aceitação o padrão! As mulheres exigem ser tratadas como homens, os homossexuais querem ser tratados como heterossexuais e até os pobres desejam comer caviar ainda que o sabor possa ser amargo e fino demais para o grosso da sua boca. Todos querem evitar ser raro. Diferente. Ter motivos de introspecção e dedicação exclusiva à sua vida e aos seus. É muito mais seguro fazer parte da manada e seguir o rebanho. Seja de Deus, do Diabo ou do intermédio. Desde que seja uma fila onde se possam perder horas à espera não se sabe muito bem de quê ou de quem. Promessas vãs, provavelmente. É cada vez mais raro ser raro. Viver isolado da influência diária do convívio oco e vazio. Reparar nas roupas e nas falas. Olhar os erros. E em seguida esquecê-los. Rapidamente. Não vá inadvertidamente aprender algo… Aprender é raro. É raro o gosto pela observação e meditação. Mesmo quando a moda é o Yoga e o budismo. As pessoas só seguem pela necessidade de estar na “berra”. No auge do moderno e experimental, ainda que não possuam qualquer experiência no mais básico: pensar. As horas e o tempo não se gastam, perdem-se. Compram-se as roupas da última colecção e os sapatos mais brilhantes. Ofuscam-se as pedras da calçada como se dar um passo não fosse pisar. Como se o caminho não fosse de terra e pó. Tudo se transforma em terra e pó. Hoje não se vive para ser raro, vive-se para ser o imediato. O agora. A opção e o desejo do momento. Vive-se na sombra de um momento que possa ser de distracção. E a televisão nos pegue. Todos querem fama e sucesso. Ser capa de jornal ou modelo de uma revista qualquer. Ninguém quer ser raro. Eventualmente um dia percebem que são apenas mais um. Mais um número somado em estatísticas viciadas e testes escolhidos para satisfazer uma vontade mais elevada… Rara é a busca pelo desaparecimento dos holofotes ou a não-procura de uma importância qualquer que possa fazer brilhar o nome, já que a pessoa vive sem brilho algum. Raro é o desejo só de estar feliz sentado no sofá em frente à televisão apagada. Amar com um livro ou com uma boa música. Raro é aprender a gostar do que se faz, mesmo quando os sonhos ficam pelo caminho. Raro é o gosto da sua própria companhia e da solidão dos dias a sós. Á medida que os anos passam, vou tomando a perfeita consciência de que eu sou mesmo muito estranho. Diferente. Solitário. Talvez seja raro porque não busco nenhuma das coisas que hoje observo. Sou raro porque procuro o raro, o que se afasta. Sou raro porque estou bem quando estou sozinho. E sou muito raro quando aceito que a minha vida não foi destinada a grandes feitos, nem o desejo. É raro alguém dizer isto, mas amo o meu estatuto de desconhecido no meio da multidão…

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Não categorizado. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s