Ensaio sobre Rita Ribeiro

Não sei se sou eu que sinto demais ou se são as pessoas que sentem de menos mas há dias em que me sinto completamente isolado como se estivesse numa ilha no meio do Atlântico. Canso-me desnecessariamente e parece que nada irá mudar. Nunca. E se culpas existem estão nas pessoas que se acomodam com o seu umbigo. Hoje foi um dia complicado de muita chantagem psicológica (o pior tipo) e pressão. Aguento-me sempre o melhor que posso mas quando chego a casa, ouço uma música ou olho a lombada de um livro, as pernas tremem. O chão falha e o mundo roda a uma velocidade quase impossível. Duvido da força que este meu corpo pequeno, cansado e tão machucado contém. Duvido mas não cedo. Firme que nem uma rocha suporto humilhações e imposições. Vejo serem rasgados todos os acordos e quando tudo parece fugir do controlo arregaço as mangas e prendo o futuro ao que preciso para ser feliz. E não abdico nem um pouco de ser feliz. Duvido das minhas forças mas elas não falham… Cheguei a casa cansado e tudo me parece um absurdo tão grande que pouco mais me resta senão descansar. Sentei-me no sofá e enquanto pesquisava vídeos no youtube encontrei um muito especial. Em 2008 escrevi neste blog que a surpresa musical do ano, para mim, foi a descoberta de uma cantora brasileira chamada Rita Ribeiro. Tem um timbre maravilhoso. Em 2010 avisei que o DVD “Ao vivo e a Tempo”, que tive de importar do Brazil, é um marco na história da música brasileira por consagrar um show que tem 7 anos em cartaz com casas lotadas. Nunca passou por Portugal por falta de convites, segundo me constou. É um espectáculo relativamente económico tendo em conta as Ivetes e Danielas que pulam pelo nosso país. Acontece que Rita Ribeiro criou um show que não é de massas embora resulte no Brazil e eu acredito sinceramente que em Portugal faria uma entrada triunfal. O timbre é uma dádiva de Deus. Um luxo auditivo que me faz arrepiar dos dedos dos pés ao último fio de cabelo. Artista maior. Maiúscula. Compositora, intérprete e criadora de um estilo musical chamado “Tecnomacumba” (nome do show que anda há 7 anos a esgotar casas no Brazil), Rita Ribeiro é ainda a intérprete perfeita que facilmente me faz limpar a alma. Não sei se sou eu que sinto demais ou se são as pessoas que sentem de menos mas esta música e interpretação, seja qual for o meu estado de espírito, relembram-me dores de tal modo insuportáveis que, antes mesmo que dê conta, estou de rastos para no fim sorrir. O que me parecia impossível de acreditar… tive de aceitar. E viver também é isto. O que parece impossível de acreditar hoje, é a certeza de amanhã… O vídeo da música foi extraído de um show fantástico com direcção de Jaime Alem (maestro de Bethânia) e feito em parceria com Teresa Cristina e Jussara Silveira. Um dos melhores que alguma vez ouvi. É impossível acreditar…

http://www.youtube.com/watch?v=jsgL8WIA2GM&feature=related

 

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Não categorizado. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s