‘ Não vou lamentar… a mudança que o tempo traz ‘

A minha chegada foi atribulada. Mas pior que isso foi o estado físico em que me encontrei  nos últimos dias. Muito provavelmente seria ‘Jet lag’. Andei 2 dias com umas tonturas estranhíssimas e uma náusea permanente. Hoje estou francamente melhor apesar de não conseguir descansar como deveria. Amanhã ou ainda hoje tentarei recomeçar o meu trabalho de quantificação de espectros, gráficos e preparação de mais um artigo. Não será fácil mas a ver vamos. Até porque hoje ainda tenho em mente ir ver um concerto da Daniela Mercury.
Ontem fiz anos. Não me vem instantaneamente a idade à cabeça quando penso nisso. Não que seja muita a minha idade mas especialmente porque desde há uns tempos para cá  o passar dos anos deixou de fazer sentido para mim. Na adolescência contava-os com a urgência de chegar aos 18, como se esse fosse o ponto de viragem da minha vida. Aos 18 fiquei feliz mas imediatamente percebi que nada mudaria da noite para o dia. Fiquei triste. Parei de contar a passagem do tempo como os anos gastos nesta nossa passagem por este mundo. Hoje conto a passagem do tempo pelas memórias e lembranças que ficam guardadas. Este meu aniversário foi feliz. Não pelos 27 anos que seriam o motivo do festejo mas por ter sido o ponto de viragem para um ano que se prevê de muito trabalho mas pessoalmente de alguns projectos e sonhos. O ano que ficou foi francamente positivo e isso é o que importa. Vou ‘gastando’ o meu tempo na novidade e num crescimento contínuo…
 Há uma música que transmite o que penso sobre a idade…
 Esta é a música (http://www.youtube.com/watch?v=121qw6A9n7Y) e a respectiva letra:

Não vou lamentar
a mudança que o tempo traz, não
o que já ficou para trás
e o tempo a passar sem parar jamais
já fui novo, sim
de novo, não
ser novo pra mim é algo velho
quero crescer
quero viver o que é novo, sim
o que eu quero assim
é ser velho.

Envelhecer
certamente com a mente sã
me renovando
dia a dia, a cada manhã

Tendo prazer
me mantendo com o corpo são
eis o meu lema
meu emblema, eis o meu refrão

Mas não vou dar fim
jamais ao menino em mim
e nem dar de, não mais me maravilhar
diante do mar e do céu da vida
e ser todo ser, e reviver
a cada clamor de amor e sexo
perto de ser um Deus
e certo de ser mortal
de ser animal
e ser homem

Tendo prazer
me mantendo com o corpo são
eis o meu lema
meu emblema, eis o meu refrão

Eis o meu lema
meu emblema, eis minha oração
Eis o meu lema
meu emblema, eis minha oração

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Não categorizado. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s