‘ Custa escrever pressionado’

Custa escrever pressionado. Bem sei que a pressão pode ser uma coisa saudável quando é feita inconscientemente. Ontem foi um desses dias em que a minha escrita foi alvo de uma crítica muito construtiva que me deixa com responsabilidades acrescidas. Tudo isto para tentar fugir ao tópico do dia de hoje. Custa escrever quando as palavras têm a responsabilidade de fazer chegar um pouco de mim a quem lê. Para lá de mim, as palavras transportam um universo íntimo onde tudo é permitido e a isenção esquecida. Sou eu que as escrevo através do teclado e pelos meus dedos passam ideias, sentimentos e uma parte de mim que permanece intocável, inviolável e reservada. Escrever é para mim uma aventura e uma maneira bem suave de encontrar o equilíbrio, como um abraço saudoso entre o que pretendo, o que sou e o que fui… Escrevo para aliviar dores, para libertar a minha consciência e até declarar amores. Celebro ainda, muitas vezes, os dias bons que passo onde a alegria se torna extenuante demonstrando que ser feliz é um trabalho muito cansativo. Por isso estou tantas vezes cansado, fustigado pela felicidade extrema que passa pelo meu corpo…
 Custa escrever hoje. Vai custar escrever amanhã e enquanto me lembrar do quão difícil é alinhar palavras e frases. Deixa de ser natural, passo a pensar um pouco mais nas coisas e não consigo permitir que tudo se desenrole normalmente. É quase impossível alguém me deixar pressionado. Vou confessando aqui que para o fazer é necessário ter sobre mim um poder muito grande. É essencial ser alguém com um peso na minha vida muito mais importante do que pode supor. Só por respeitar e admirar em silêncio alguém posso me sentir pressionado pelo que me diz. Em silêncio. Nada é tão poderoso quanto o silêncio que se instala na nossa vida. Esse silêncio que é um eco, um grito surdo que nos obriga a pensar. E quando penso torno-me muito vulnerável. As emoções fervilham por debaixo da pele e os pêlos arrepiam-se. Rasgam-se os olhos em lágrimas criminosas que cortam e ferem a pele. Arde fortemente o rosto e abre-se um vazio demasiado profundo. Admirar em silêncio é sentir tudo isto e muito mais quando penso no que me diz quem eu respeito acima de mim…
  Tenho um Amor infinito por quem me dá a mão e limpa as minhas lágrimas sem saber o que dizer ou fazer. Tenho um respeito eterno por quem se perde quando me sente perdido. Amo que alguém não diga nada, que só me olhe sem pedir desculpa. Não suporto que me tentem consolar das minhas dores. Preciso que me ajudem a sofrer e não que me ajudem a reprimir o sofrimento natural de quem Ama…
  Escrever torna-se muito difícil quando alguém que amamos inocentemente nos dá não apenas o seu apoio mas também nos atribuí uma qualidade que nunca procurámos… Este foi o meu dia de ontem. Adoro escrever e não tenho qualquer pretensão em fazê-lo mas confesso que o elogio à minha escrita quando é feito por quem admiro e respeito tem sobre mim uma certa espécie de pressão acrescida que me inibe um pouco… Passará como tudo nesta vida e em breve voltarei a ter entradas ao nível normal…

 bj

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Não categorizado. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s